Gírias Militares (EPCAr)

25/05/2010 05:04

Estão aqui algumas gírias usadas na EPCAr

 

Acoxambrar: Relevar, aliviar, relaxar a posição em forma quando não deveria.

Agarrar: Quando uma situação pode dar errado. "Se chegar atrasado vai agarrar."

Arrego: Exclamação suprema, perplexidade aguda, só proferida face uma situação realmente

indica surpresa e indignação.

Arrimo: Mulher bonita.

Bicho: Todos os alunos do 1º ano, novatos.

Bivaque: Espécie de acampamento, no qual a tropa só passa uma noite acampada na mata.

Bizu: Dica, indicio forte.

Bizuzeiro: Entregador, traidor, alcagüete, dedo-duro.

BQ: Letras usadas na identificação do auxílio NDB, para navegação aérea (BBQ), situado no aeroporto de Barbacena. Daí as letras BQ serem usadas como designativas da cidade de Barbacena.

BQano: Todo aquele que foi aluno da EPCAr.

Cadência Fantasma: Quando todos combinavam de marchar sem bater com os borzeguins no chão, silêncio total, irritando o sargento que desejava uma cadência de rachar o solo.

Cair de Boca: Postar-se em posição de flexão, para pagar algumas, geralmente, expressão usada por alunos mais antigos, quando desejavam ver os mais modernos os divertirem.

Camofo: Toda pessoa nascida em Minas Gerais.

Canetada: O mesmo que canetar.

Canetar: Anotar o número de alguém para dar ao seu comandante.

Cavok: quem só pega baranga.

Cepação: A maior inimiga da visão do Aviador, esta verdadeira praga assola o CA regularmente, de dois em dois meses, quando se realizam as provas bimestrais, sua definição mais simples é: ato de estudar muito virando as madrugadas.

Dar chance: Se expor demais e ser apanhado no flagra.

DC: Desprovidos de Conhecimento. Um eufemismo para burro.

Golpe: Seu maior inimigo é o impiedoso lanceiro, qualquer ato de capaz de burlar a boa ordem da sociedade humana, assume mil facetas conforme a situação. Entre alguns golpes excêntricos estão: Furar a fila do exame médico no CEMAl, furar a fila da audiência com o tenente, matar o corte de cabelo na Escola para cortar maquina zero na cidade, peruar oito bifes de japona.

Granadas: Almôndegas que provocam altas explosões.

H-8: Alojamento do 3º ano, divididos em apartamentos.

Malandro: Aquele que dá golpe sem ser flagrado.

Nu: Quando a aba de um bolso esta desabotoada.

Pagar: Executar flexões; expressão geralmente acompanhada do número a serem feitas.

Peixe: Protegido de um mais antigo.

Peixada: Quando um mais antigo favorecia o seu "peixe" violando as regras normais estabelecidas. Exemplo: Quando um aluno mais antigo pegava o seu "peixe", que estava no final de uma fila e o fazia passar à frente de todos, que ficavam olhando com inveja, revolta, mas sem poder fazer absolutamente nada.

Peixação: Ato de peixar, favorecer seu "peixe".

Pelo: O mesmo que cabelo.

Safo: pessoa inteligente ou o mesmo que malandro

Senta a Pua: Revista editada ao final do 3° ano pelo esquadrão. Nela estão retratados os momentos felizes e de dificuldade passados pela turma. Algumas fotos e frases ajudam a compor . Também este termo foi usado pelo Primeiro Grupo de Aviação de Caça quando operava na Itália, durante a Segunda Guerra Mundial.

Suco de bala: Refresco servido no rancho, de sabor indecifrável.

Suga: Educação física para os que não participam de equipes esportivas

Tchola: Aquele que bajula, puxa-saco.

Vaporizar: Quando alguém não liga para o que diz um aluno mais antigo ou para um acontecimento com o estudo. Exemplo: Vaporizei para Física!!!

VI: A sigla quer dizer Vôo por Instrumentos. No entanto, ela abrange atos mais irregulares e condenáveis; o virtuoso que usa este expediente terá direito a responder, se pego, à oito maravilhosos dias no Pelotão de Presos. A maneira mais comum de executar essa manobra aérea, é testar a performance atlética saltando o muro; recomenda-se cuidado extremo com as Kombis azuis e com os Santanas. Traduzindo: Vôo por instrumentos significa sair da EPCAR sem autorização do comando, geralmente pulando o muro.

Voltar

Pesquisar no site

© Desenvolvido por Thiago Rodrigues Brasil

Construir sites Webnode